O momento está propício pra comprar um imóvel, considerando que as taxas bancárias estão bastante reduzidas. Se antes você tinha alguma dúvida, agora pode se sentir seguro para dar esse grande passo. Sua próxima tarefa é entender como funciona o financiamento e começar seu planejamento financeiro.

 

O que é e como funciona o financiamento de um imóvel?

 

O financiamento é um contrato estabelecido entre você e um agente financeiro, geralmente um banco, que tem como finalidade o oferecimento de recursos financeiros para a aquisição do seu imóvel. O banco contratado irá passar o valor da sua compra para o seu vendedor e, assim, você irá pagar parceladamente esse valor para o banco.

Quando você decidir qual imóvel irá comprar, deve procurar saber qual é o melhor banco para efetivar seu financiamento, pois as taxas e condições de pagamento variam de um banco para o outro.

Através do imóvel e do valor que deseja financiar, o banco fará uma análise de todos os seus dados, principalmente sua renda mensal e o histórico do seu CPF. Geralmente o valor financiado não pode ultrapassar 30% da sua renda nas parcelas.

Assim que conseguir a aprovação do financiamento no banco, é hora de assinar o contrato de compra e venda, registrar no Cartório de Registro de Imóvel e pronto, só começar a quitar suas parcelas – o financiamento de imóveis pode chegar a um prazo de até 35 anos.

 

Informações a serem levadas em conta:

 

Não compre imóveis sem estar plenamente preparado

É possível aprender como comprar imóveis da forma correta, sem riscos, sem prejuízos e sem arrependimento. Não deixe de estudar as possibilidades e se planejar financeiramente para dar esse passo.

 

Estabeleça Metas

Um bom planejamento continua sendo fundamental para que um projeto saia do papel. Toda decisão implica em abdicar de alguns costumes do dia-a-dia, mas, no entanto, quanto mais bem planejado, menos impactante serão as mudanças.

 

Conheça as taxas e juros

As taxas e juros do financiamento de imóveis são referentes ao valor que o banco irá te cobrar por te emprestar o valor que você gostaria de investir. Com as quedas nas taxas de financiamento, os bancos buscam tornar-se mais atrativos para quem sonha adquirir a casa própria.

 

É necessário dar uma entrada

Todo financiamento de imóveis exige que você pague uma entrada. Esse valor inicial vai determinar o tamanho das parcelas, e a conta é simples: quanto maior o aporte inicial, menores serão os pagamentos mensais. Ele também vai impactar as taxas de juros e o tempo necessário para quitar a dívida do financiamento. O ideal é dar uma entrada de 15% a 20% do valor total do imóvel. Alguns bancos, porém, podem exigir entre 20% e 30%.

 

O imóvel não é seu até que seja quitado

Ao longo da vigência do contrato, o imóvel ainda pertence ao banco, até que a dívida seja completamente paga. Por essas e outras, é fundamental escolher um valor de mensalidade que caiba no seu bolso. Conte inclusive com o fato de você poder passar por momentos de aperto financeiro durante o financiamento.

 

É essencial levar em conta todos os gastos com o imóvel

Ao iniciar um financiamento de imóveis, é preciso lembrar que a entrada e as parcelas são apenas alguns dos custos envolvidos na operação. É essencial considerar também outros gastos, como:

  • Imposto de Transmissão de Bens Imóveis (ITBI) e custos cartoriais, com valores que podem chegar a 10% do montante total do imóvel — alguns bancos e financeiras permitem que esses valores sejam incorporados às parcelas, o que facilita bastante;
  • Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU), pago uma vez por ano à prefeitura — havendo impostos atrasados, você precisará regularizá-los;
  • gastos com a mudança — apesar de óbvio, muitos compradores se esquecem de computar esse gasto.

 

Todos esses pontos devem ser considerados na hora de decidir fazer ou não um financiamento de imóveis. Avalie com cuidado, ok? Boa sorte!